domingo, 18 de janeiro de 2015

Mais uma


As coisas complicaram-se tanto este fim de semana. Já devia estar habituada a estas coisas, mas sempre que fazes disto fico mesmo magoada. Não sabes o quanto me custa.
Chega de promessas, se não vais comprimir não prometas nada. É sempre a mesma coisa, aos poucos começo a cansar-me.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Uma por três


Sempre fui muito certinha nas coisas da escola, faço tudo o que é pedido. Mas a pior coisa que me podem dar para fazer é trabalhos de grupo. Acabo por ser sempre eu a fazer tudo - ou quase tudo - não suporto fazer trabalhos com pessoas que deixam tudo para a última. O pior de tudo é que a maioria das pessoas com quem me dou mais é assim. Eu nunca escolho o meu grupo, ele já é formado automaticamente quando algum professor se lembra de criar um novo trabalho. O problema é que as pessoas que eu mais gosto não têm sentido de responsabilidade e são terríveis para fazer alguma coisa. Acabo sempre por me chatear. Dá-me imensa vontade de chegar ao fim do trabalho e só por lá o meu nome mas, como são "aquelas pessoas" não o consigo fazer e, assim acabam por ter notas à minha pala. Também não vou andar a trás de ninguém, quando se lembrarem que o trabalho existe que me procurem. A parte mais engraçada é quando chega a parte da apresentação e ainda tiram melhores notas que eu.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Parabéns tio

Gstava que o dia de hoje tivesse sido diferente, que tu desta vez te dedicasses mais a nós, à tua familia que te apoia incondicionalmente. Quando era mais nova eras das pessoas mais importantes para mim, cheguei a desejar que fosses meu pai. Gostava de voltar a esses tempos. É incrível como uma mulher consegue mudar um homem. Ao longo do tempo tens-me desiludido tanto, ainda hoje com um simples postal me deixaste desanimada. Levaste o conteúdo e deixaste o cartão, se fosse eu teria-o guardado como recordação como faço sempre.
Espero que tenhas tido um ótimo dia e que venham muitos mais anos. Desejo-te tudo de bom, tu mereces porque apesar de tudo tens um coração enorme.

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Um companheiro para a vida


Vocês não imaginam o quanto eu quero ter uma amiguinho destes.
De momento não posso ter porque ele ia passar muito tempo sozinho, mas espero que no futuro possa ter um.

Desculpa



Desculpa se não sou a melhor pessoa para ti, se não te dou toda a atenção e carinho que merecias. Desculpa-me por todas as vezes que me afastei de ti, por ser refilona e por te deixar triste. Ás vezes nem eu sei entender porque reajo de certas maneiras, mas não é por mal acredita.
Desculpa não ser o suficiente para ti.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Prometido é devido


Eu tinha dito que quando acabassem os doces de Natal começava a fazer treinos diários juntamente com uma alimentação saudável. E assim vai ser, os doces já acabaram e amanhã começo com a dieta e com os treinos diários. Confesso que vai ser complicado arranjar um tempinho todos os dias para o treino mas vou fazer sempre que possível. Espero ver resultados.
Já fiz um plano de exercícios para pernas, braços e barriga. Que exercícios e conselhos me recomendam?

domingo, 11 de janeiro de 2015

O Natal chegou ao fim


Hoje a minha árvore de Natal acendeu-se pela última vez, todos os enfeites que estavam espalhados pela sala voltaram para dentro da caixa. A casa voltou ao seu estado normal. 
Com as arrumações vieram as lembranças, lembranças de quando era pequena. Todos os anos escrevia uma carta ao pai Natal, a minha mãe "enviava" a cópia pelos correios e a original era guardada na minha bota. Bota essa que todos os anos é pendurada na lareira com todas as cartas que escrevia. O meu Natal era sempre passado em casa dos meus pais, quando chegava a hora de abrir os presentes o meu pai ou meu tio desapareciam por algum motivo e o pai Natal aparecia - calhava um ano a cada um - com o passar do tempo eu estranhava o pai Natal ter uns sapatos iguais aos do tio ou uma camisola interior igual à do pai. 
Depois dos meus pais se separarem o Natal ficou mais triste. O pai Natal deixou de me vir visitar e o Natal passou a ser completamente diferente. Mas o pior disso tudo é o quanto me custa deixar o meu pai sozinho nestas alturas do ano. Parte-me o coração pensar nisso, gostava que ele fosse feliz com alguém. Mas tirando isso não me posso queixar, continuo a ter o resto da minha família comigo e, juntos, acabamos por fazer este dia como algo de especial. 
Depois de tantas arrumações nada como descansar e comer os chocolates que estavam pendurados na árvore (risos), afinal esta é a melhor parte de arrumar as coisas de Natal.

sábado, 10 de janeiro de 2015

Sem tempo


Ainda agora começou a rotina e eu já ando com imensas coisas para fazer. Como se não basta-se as coisas da escola ainda tenho o curso de inglês e, para a semana, tenciono começar a ir às aulas de código. Não tenho tido tempo para nada e as trocas de horas de sono também não têm ajudado. - Até para vir aqui tem de ser a correr, não consigo sequer estar atualizada das vossas coisinhas. - Neste primeiro fim de semana desde que as aulas começaram, já tenho que estudar para uma ficha de português e ainda queria dar uma vista de olhos na nova matéria de matemática que hoje me deixou bastante triste - Lembram-se da conversa da reunião de ontem? Pois, parece que hoje as coisas começaram mesmo a acontecer, já não me sentia tão perdida em matemática como na aula de hoje. - Estou mesmo a pensar em fazer um plano de estudo semanal para ver se me oriento. Quero fazer tudo e não tenho tempo para nada. 

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Tenho uma luta difícil à minha frente


Hoje foi a reunião lá da escola. A minha mãe é que costuma ir embora seja a minha avó o meu encarregado de educação. Não houve grandes queixas para fazer, até porque nunca fui de problemas na escola, só referiram - para variar - que costumo falar com os meus colegas nas aulas. Deram as notas do primeiro período à minha mãe e falaram da turma em geral. O que mais me afetou foi dizerem que as notas de matemática são as piores e que daqui para a frente ainda vão piorar mais. 
Eu tenho me esforçado imenso, até porque este ano, no mínimo, tenho de ter dez. - Acabei o décimo ano com onze e no décimo primeiro com nove. - Neste último período tive onze, não está mau mas podia estar muito melhor visto que vou ter exame. 
Fiquei mesmo desmoralizada com o que a minha mãe me contou sobre este bocadinho da reunião. Quero mesmo passar a matemática este ano e estou a ver que vai ser uma luta difícil.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Uma viagem longa



Hoje fui com o D' apanhar o comboio, mas desta vez foi diferente de todas as outras: fui à pica. - pela primeira vez - Ele têm passe por isso abria-me a cancela. Quando o nosso comboio chegou deixamos as pessoas entrarem e esperamos por ver o revisor na porta, para saber onde ele andava. Acabamos por ficar sozinhos na plataforma quando o pica chegou à porta do comboio, ele viu-nos perfeitamente e, a minha primeira reação foi começar a correr para a porta seguinte. - Foi um disparate, ele deve ter percebido logo. - Assim que entrei começai a andar de carruagem em carruagem, olhei para trás e adivinhem que lá vinha? Exato, o pica. Ele também estava a abrir a porta da carruagem onde estávamos. - Vi a minha vida a andar para trás - A minha primeira reação foi continuar a passar de carruagem em carruagem o mais rápido possível. O grande problema é que aquele comboio era pequeno - só tinha quatro carruagens - cheguei à última e só pedia aos santinhos todos para me ajudarem e me deixarem passar nesta (risos). Ficamos os dois ao lado da porta de saída, ele estava virado para a porta onde o pica podia aparecer a qualquer momento e eu estava de costas para ela. - devo ter perguntado ao D' umas trinta vezes se o pica estava a vir. - A viagem foi só de uma paragem, mas pareceu que nunca mais acabava. - Eu só suplicava para sairmos já na próxima e ir comprar o raio do bilhete. - Entretanto entraram imensos miúdos - deviam vir da escola - e nós infiltramos-nos no meio deles. Quando finalmente chegou a nossa paragem ainda estava a tremer e a agradecer aos santinhos todos. Ao sair vi o pica na porta da carruagem seguinte à que nós estávamos, nem o olhei nos olhos, ao contrário do D', que se divertiu imenso à minha pala (risos).
Escusado será dizer que quando foi para regressar comprei bilhete - desta vez nem o pica vi, a típica ironia da vida. - Pela primeira vez na vida faço uma coisa destas e calha-me logo uma aventura para esquecer.

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Alguém especial


Quando criei este blog era suposto ser privado, privado das más línguas, da coscuvilhice e, principalmente, das pessoas que me conhecem bem. Não é que tenha alguma coisa a esconder, mas gosto de ter a minha privacidade num sítio onde ninguém possa "passar palavra" a outras pessoas e por aí fora.
Mas, como acontece com toda a gente, há sempre aquela pessoa que excede a regra. É este o meu caso, há uma pessoa na minha vida com quem gostava de partilhar este cantinho, se o fizer não poderei voltar a trás por isso é algo importante para mim.
Gostava de saber as vossas opiniões em relação a isto e se guardam este espaço só para vocês ou se têm alguém que sabe dele. Contem-me tudinho.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Regresso às aulas


Para mim, o regresso às aulas nunca foi algo positivo e, desta vez, não foi excepção. Voltam as rotinas, voltam os trabalhos, voltam os testes, voltam as horas de estudo, voltam os problemas com os colegas de grupo e com os professores. O stress acumula-se aos poucos, começo a ficar cansada só de pensar. 
Para começar bem o dia de hoje, acordei que nem um zombie, arranjei-me a correr, normalmente demoro meia hora para estar pronta - não sou de muitos pormenores, principalmente logo de manhã - e lá fui eu apanhar o autocarro, para variar tive de correr, não estava atrasada e tão pouco estava na hora, - faltava cerca de três minutos - mas o autocarro já estava na paragem e, pelo sim pelo não, comecei a correr. Quando cheguei à escola, ainda modo zombie, só via miúdas a correr umas para as outras, só tinha vontade de voltar para trás. Lá encontrei o meu amor - a melhor pessoa que ali anda - e, com grande custo lá fui para as aulas. Como se não bastasse o meu esforço por estar ali àquelas horas, ainda mandaram trabalhos de casa, marcaram testes e trabalhos de grupo. - será possível? - O lado bom de estar no ano em que estou e na minha escola é não ter aulas à tarde, sempre é uma iniciativa para me levantar tão cedo.
Só desejava poder voltar ao primeiro dia de férias, como não é possível tenho de me habituar à ideia de voltar ao trabalho e me concentrar no aumento das notas. E o vosso dia como foi? Espero que tenha sido mais animado que o meu.

domingo, 4 de janeiro de 2015

I - Sobre mim


O meu problema é depositar o meu bem estar numa só pessoa. Quando estou bem com ela tudo aparenta estar bem também, mas e quando nos chateamos? Ou quando ela me falha? Onde me vou abrigar? Onde vou procurar força? É como se o mundo me caísse em cima. Ter as pessoas que mais depositamos confiança e não poder pedir conforto.
Elas estão bem porque conseguem lidar com a situação e, eu aqui que nem uma Maria Madalena a chorar baixinho para que ninguém me ouça, para que ninguém fique triste por mim. Não quero magoar ninguém, pelo contrário, quero ser o pilar delas. 
Outro dos meus grandes problemas é depositar demasiadas esperanças em alguma situação ou pessoa, esperança essa que nunca acaba por acontecer como queria ou imaginava. Se bem que nós, Mulheres, temos sempre a tendência de ficar à espera que os outros - principalmente "aquele rapaz" - adivinhem o que sentimos, sem lhe contarmos nada primeiro. O ideal seria não esperar nada, deixar as coisas fluírem naturalmente.
Eu sei que todas as pessoas nos vão falhar um dia, isso é normal, mas custa. Custa porque parece que acontece sempre nas piores alturas.

Efeitos da preguiça


Nem acredito que as férias já estão a terminar. Tenho imensa coisa por fazer e, o pior de tudo, é que antes das férias começarem fiz um plano de estudo onde todos os dias - tirando os dias comemorativos, o primeiro e o último dia de férias claro (risos). - fazia um bocadinho de um trabalho da escola para não custar tanto no final. Chegou o primeiro dia fiz tudo o que estava planeado, chegou o segundo a preguiça falou mais alto e por aí adiante... E agora, chego ao último fim de semana e tenho tudo por fazer. Eu sei que devia ter pegado nisto antes mas também sei que agora não estou com vontade nenhuma.
ps: Adicionei um contador decrescente para as próximas férias, sintam o meu desespero.

sábado, 3 de janeiro de 2015

Demasiado sentimental


Não sei o que se tem passado comigo nestes últimos dias mas ando mesmo em baixo.
Parece que tudo o que faço, faço mal. Tudo o que digo, perturba alguém. Refilo por tudo e por nada. Tudo me incomoda, tudo me deixa triste. Não sei o que fazer e tão pouco sei tomar decisões, perdi a vontade para fazer o que quer que seja. Só me sinto bem sozinha, no meu canto. Dou por mim a chorar por coisas sem significado algum, basta tocar numa ferida e começo num pranto. - estou mesmo sentimental. - Ninguém entende, nem mesmo eu.
Não queria nada começar assim o ano, até porque me faz relembrar coisas que não quero, de maneira alguma, voltar a passar.
Estou mesmo a precisar de uma dose de mimo, força e coragem. Amanhã vai ser um dia complicado e eu aqui, assim.
Não sei como, mas tenho de me erguer de novo, antes que seja tarde de mais.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Para ti, com tristeza


A minha relação contigo nunca foi a melhor e sinceramente nunca será, tenho pena que as coisas sejam assim e que não possa me dirigir a ti com aquele à vontade que se tem perante um membro da família ou perante aquela pessoa que aconteça o que acontecer sempre estará lá para te dar a força que for precisa. Compreendo que tenhas passado imenso na tua infância e talvez por causa disso sejas a pessoa que és hoje, mas sabes? Já tiveste imenso tempo para mudar e aprender que a maneira que tomas a vida não é a melhor. Os jogos psicológicos e a forma como tratas tudo e todos acaba por afastar toda a gente que gosta de ti - até a tua própria família. - Não sei como lidar contigo e acho que nunca vou saber. Não te recrimino por me teres tirado parte da minha infância, só pedia que mudasses a tua maneira de ser, esse teu feitio difícil de perceber. Eu não me esqueço de ti como gostas de dizer tantas e tantas vezes, pelo contrário, preocupo-me muito contigo e com o teu futuro. Porque é que sempre fizeste estas coisas? Será que gostas de viver assim? Explica-me sem os rodeios do costume, sem a expressão do costume.
Para este ano espero que a tua atitude perante o mundo mude, que conheças pessoas que te façam mudar já que até hoje ninguém conseguiu - inclusive eu. - E, para terminar, quero que saibas que continuo à espera que me deixes dar-te o beijo de bom ano que me negaste, e também espero pela resposta à mensagem que te enviei a desejar um bom ano novo onde também referi, e repito as vezes que forem precisas: gosto muito de ti, pai.

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Bem vindo dois mil e quinze


Um ano novo acabou de começar, espero que tenham tido umas boas entradas, as minhas foram passadas em família e com o meu namorado. Nos meus últimos momentos de 2014 fui-me um bocadinho abaixo, estive com o meu pai e as coisas não correram muito bem. Mas que posso eu fazer? Já devia estar habituada a estas coisas, mas custa-me sempre. Mas tirando isso foi bom, afinal os últimos minutos foram passados ao lado das pessoas que mais amo.
Não fiz nada aquilo que vos contei à uns dias neste post, quando finalmente a minha mãe estava a dar o braço a torcer eis que as minhas amigas resolveram descombinar tudo e decidiram que iam celebrar em casa de uma outra rapariga, à qual eu nem sequer conhecia. -Talvez um dia vos conte de onde ela apareceu no nosso grupo. - Como é óbvio não me ia sentir bem lá, mas mesmo assim confesso que fiquei um bocadinho triste por não ir. Acredito que para o ano seja diferente, tudo mais bem planeado e por essa altura também já devo ter carta. E a vossa passagem de ano como foi?
Que este novo ano seja repleto de muitos bons momentos ao lado das pessoas que mais gostam.
 Paz, Saúde, Amor e sejam felizes!